segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Viajando na ousadia (nova tag)

Hola chicos e chicas(será que acertei, sei nada de espanhol) kkkk
 Sentiram a vibe né? mas gente pára tudo que vou fazer um post de viagem e internacional viu, vai ser coisa rara por aqui, mas sempre que puder( vai saber né?) eu coloco. Por que não né? Sou só emoção com esse post de hoje, ainda mais porque é quase nepotismo puro(ahã, ela é minha prima)...espia só!


Cusco, ou Cuzco, é uma cidade lindíssima e aconchegante. Situada na região dos Andes, no Peru, é ótima para o turismo. Primeiro porque sua cultura é riquíssima, muito atrativa e o melhor de tudo, barato. Quando você chega a Cusco, normalmente você passa por um período de adaptação devido a altitude (falta de ar, dor de cabeça). Logo, alguém te oferecerá um mate de coca e realmente  faz efeito. O chá é até gostosinho, com açúcar, lógico. A moeda usada lá é o “nuevo sol” que custa aproximadamente metade do real. Além disso, as coisas já são baratas por natureza. O nível de vida lá é bem mais baixo do que aqui no Brasil por isso dá pra aproveitar bastante. Como fui fazer o estágio, só tive fins de semana para fazer turismo. Em compensação, a família me acolheu muito bem e me levou para conhecer muitos lugares, o que me levou a economizar.







A comida lá é a base de frango e batata. Para comer como turista é excelente, mas no fim de um mês acabei enjuando um pouco. Tem batatas de tudo quanto é tipo. E o frango em geral é assado. As comidas típicas de La são pollo (frango), serviche (um peixe cru com suco de limão basicamente – cuidado onde vai comer devido a higiene, depois que descobri que era cru não me desceu mt bem hauhauha), chicharon (carne de pouco –delicioso mas muito gorduroso Tb), cuy (porquinho da índia- não tive coragem de comer mas dizem que é muito bom), enfim, basicamente isso.






A cidade é riquíssima em artesanatos, mercados, feiras e museus.É bom saber o básico do espanhol para comprar. De artesanato temos os “chuyos”(aqueles gorrinhos do chaves rsrs”, luvas, meias, chales, tudo muito lindo e colorido. Tem que ter cuidado na hora de comprar porque eles abusam um pouco no preço quando sabem que é turista ( o que não é difícil pra eles). É bom saber o básico do espanhol para comprar.  Pechinchar, sempre.











A população em geral é acolhedora. O transporte publico é precário, e pra turismo na vale a pena se você não conhece. Sinceramente, não aconselho porque o taxi  é muito barato. No Máximo, uma corrida saí a 5 soles o que corresponde a 3 reais, em média. A praça das armas é o centro de Cusco. Em torno dela que gira o comercio, as boates, feirinhas, enfim, é em seu arredor que você deve se hospedar. Lá que tem a Catedral,  museus por perto, Mc donald’s (muito importante) e outros restaurantes e cafeterias legais. Em média um almoço bom saí a 20 soles. Os preços das coisas de lá são equivalentes numéricos as daqui. Por exemplo, um salgadinho que aqui custa 2 reais, lá custa 2 soles. Ou seja, metade do preço. Conheci diversos sítios arqueológicos, com pedras incas que valem muito a pena. São exemplos: Saqsaywuaman, Q’enqo e Tambomachay. Existe um tal de boleto turisco que é aproximadamente 70 dólares  e você pode conhecer todos museus e sítios. Vale a pena. Não precisei comprar porque a família me levou de graça. Geralmente os passeios turísticos são cobrados em dólares, o que pesa um pouco. Para conhecer Machu Picchu, por exemplo, gastei 200 dólares com a entrada e o transporte (trem). Foi o mais caro mas vale muito a pena. Machu Picchu é um lugar interessantíssimo, cheio de lendas e espiritualidade. Só quem já foi pode descrever a sensação de quando se chega lá. Eu fui e voltei no mesmo dia, mas vale a pena dormir na cidade de Machu Picchu. É muito linda, em compensação tudo mais caro. Não vale a pena comprar nada lá, porque você encontra tudo em Cusco e muito mais barato. As baladas de Cusco têm entrada livre. Então você pode entrar em todas numa noite, se quiser. São animadíssimas, tocam em geral salsa, mas tem de tudo. Além é claro de você consumir tudo de qualidade e gastar metade do que gastaria aqui no Brasil. Enfim, lembrem-se que a cidade é pequena e em poucos dias dá pra conhecer tudo. A melhor época de ir é em julho, no inverno, que não chove, mas faz muitíssimo frio. Se for pra turismo, um friozinho vale muito à pena. Acho que é só. No futuro pretendo voltar por lá e rever os amigos que fiz. Beijos e espero que tenham gostado.

E as roupas que ela vestiu? Fala sério né? Ficaram lindas...super admiro quem sabe se vestir pra lugar frio porque eu não tenho idéia de por onde começar sem ficar uma trouxa de roupa ambulante!
Babei em todos, estilo é de família né..cof cof cof!!




Obs( by Tálita).: Antes de ir sempre escrevia Cusco com "z", o que não ta errado, mas achava mais chique kkkkkkk. Mas lá eles usam com "s", nas placas de sinalização e etc. Então hoje, prefiro usar com "s" também. Acho que com z é uma forma americanizada de se escrever.


Obrigada por compartilhar esse momento tão especial aqui, as fotos ficaram lindas!!

4 comentários:

Nai disse...

Que bacana deu até vontade de conhecer.
Boa semana pra ti.
Beijinhos
Nai Melo

Marcela! • disse...

Que delícia!
Viajar é muito bom...
Deve ser bom viajar para o Chile, muita coisa linda.

Beijos, boa semana!
=*

maria iaco disse...

Querida você gosta dos bodys splash da Victoria Screts??

Pam disse...

Nossa, viajar é bom demais... ADOUUURRO!
Estou pensando seriamente em ir ao Peru ano que vem (omg, isso dá uns trocadilhos e piadinhas ótimas, não?!hahha).
Beijos