terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Filme de hoje - Hobo with a Shotgun

Faz tempo que não faço resenha de filme né? Mas é que pra que eu indique de um filme aqui tenho que gostar mesmo, tem que mexer comigo de alguma forma ? Vamos ao filme de hoje: Mendigo com a escopeta -Hobo with a Shotgun (Jason Eisener 2011).



Um homem sem passado escolhe viver em uma grande cidade, em meio ao caos urbano onde quem dita às regras é o crime organizado. Vendo essa paisagem caótica repletas de ladrões, policias corruptos, prostitutas e até um Papai Noel pedófilo, Hobo (Rutger Hauer) decide fazer justiça com suas próprias mãos com ajuda de apenas um amigo: sua espingarda calibre 20. (retirado do Filmow)

O Trailer:

Essa é a sinopse do filme que nasceu como um dos trailers fakes do projeto Grindhouse de Robert Rodriguez e Quentin Tarantino, assim como Machete e Planeta Terror que abusam da estética trash com sua violência estilizada e por vezes cômica e seus efeitos precários.






O filme é um exploitation, ou seja muita tranqueira, muito nosense o que mais se destaca no filme é toda a críticas que  carrega a sociedade, ora de forma escancarada- na cena de caça aos mendigos por exemplo, como de maneira alegórica - o que é aquela cena de destruição do hospital uma clara a alusão ao poder vigente ferrando com a saúde pública  hehehe. Fazendo crítica inclusive esse prazer meio sádico que temos de ver desgraça, em videos que disseminam na velocidade da luz na internet com mazelas dos mais variados tipos!

 


Destaque também para toda a estética do filme com suas cores ora estouradas em cores   ora com cenas  monocromáticas (saturadas de azul ou  vermelho). Ondem  cada cor representa uma característica que se quer destacar na cena!







E assim transcorre o filme com situações "surreais" que ocorrem na cidade de Fodópolis.Mas é só dá uma olhada com mais cuidado que veremos situação tão cotidianas ou será apenas nessa cidade bizarra que encontramos policiais corruptos,histeria generalizada, violência gratuita e uma população impune e manobrada pela tirania e pelo medo dos que tem poder, além de moradores de rua a mercê da violência? Vale lembrar do caso do índio queimado vivo por jovens que o "confundiram" com um mendigo! Um bom filme pra se refletir...


Essa foi minha dica de filme de hoje, já deu pra perceber que não curto só filmes menininha né? Mas eu acho que independente de curtir o estilo ou não é um filme que vale a pena ser visto, se você gosta de cinema (não se restringindo a blockbusters americanos) e não tem preconceitos.

6 comentários:

Pretinha disse...

OMG, assim que li o nome do filme não simpatizei muito...mais lendo a sinopse ja me deu vontade de assistir
kkkkkk'


Faz uma visita lá na Preta.
http://pretapretinhablog.blogspot.com

Pretinha disse...

ôpa, obrigada Louise!! Eu achei que tinha tirado o treco lá da esfoliação, mais ja corrigir *-*'

Nai disse...

É claro que deu pra perceber...rs
Beijinhos e boa terça pra você.
Nai Melo

Patrícia Righi disse...

Oii! Não sabia que fazia comentários sobre filmes aqui no blog também. Super curtí a idéia =)

Tati disse...

Lu, amei a dica. Outro dia vi um documentário sobre o Tarantino e em como ele se inspira nessa estética trash para criar seus filmes - no caso dele, falava sobre o cinema australiano. Eu, sinceramente, não sei se é mais violento sermos bombardeados com propagandas surreais todos os dias ou com essa violência que realmente acontece, como você bem lembrou. GOstei mesmo da sua opinião e já entrou na lista, vou ver se acho para ver!!
Também adoro um filme assim, que mexe com o estômago. Um dos meus preferidos é Clube da Luta e os filmes do pernambucano Claudio Assis, conhece!? Recomendo O Baixio das Bestas, é fenomenal!!
Beijos
Tati

Danilo Moreira disse...

Vendo esse filme, fiquei com vontade de gravar um nesse estilo. Deve ser muito legal gravar cenas com todos esses efeitos.

Mas, ao mesmo tempo, fico pensando: acho que essa violência toda, esses personagens psicopatas aí, tudo isso ainda vai ser rotina em muitas cidades no futuro. Algumas talvez, como Juarez, já estão assim.

Abçs!